A aventura do ano está de volta! Um utilizador de Android muda para iPhone durante 2 semanas, usando-o como telemóvel no dia-a-dia. Podes ler a primeira parte aqui

Hey Siri

Outra característica que foi para mim uma novidade foi a presença de uma assistente virtual no meu bolso. É verdade, pude finalmente ter um tête-à-tête com a Siri, a assistente pessoal da Apple que recorre a  processamento de linguagem natural para responder a perguntas, fazer recomendações, e executar ações. Devo admitir que a primeira coisa que disse à Siri foi “Ok Google”, por já saber que a resposta dela ia ser caricata. No meu caso, obtive um sarcástico “Muito engraçado” de volta. Obrigado Siri, todos dizem o mesmo. E a verdade é que a Siri acaba por ser bastante útil, quer queiramos saber se amanhã vai chover, quer sejamos demasiado preguiçosos para escrever uma mensagem e acabemos por pedir-lhe para o fazer. No campo das assistentes virtuais, o Android oferece em modelos mais recentes o/a Google Assistant que, segundo críticas, é também um excelente recurso mesmo quando comparado à Siri. 100 pontos para os dois sistemas.

 

Sobre performance

Como era de esperar, a performance do iPhone no que toca a jogos continua impecável, correndo fluidamente jogos consideravelmente pesados, sem engasgos e mantendo gráficos fascinantes e complementados ainda com o áudio envolvente que o iPhone 7 Plus proporciona, através das suas duas saídas de som stereo, em cima e em baixo, o que resulta num som limpo, alto e dinâmico.

 

A bateria

Outro fator bastante importante num telemóvel é a bateria e o tempo de utilização entre carregamentos que nos é oferecido. A verdade é que é difícil fazer uma comparação direta entre Android e Apple neste campo, uma vez que não existe hardware em comum entre os dois sistemas, algo que influencia bastante este fator. Podemos porém apontar para o facto do iOS ter uma maior e melhor otimização a este nível uma vez que é desenhado e criado para uma dezena de modelos, enquanto que o Android serve milhares de dispositivos diferentes. Assim, resta-me dizer que fiquei satisfeito com o iPhone no que toca à bateria, tendo um ciclo completo de carga durado em média 8 horas, com uma utilização média-intensiva.

 

Acerca de segurança

Passemos agora para um assunto sério e importante – a segurança. Devo confessar que ao usar o iPhone sentia que as minhas informações e os meus dados estavam melhor protegidos do que quando se tratava do Android. A verdade é que a Apple é conhecida pela forte segurança que impute nos seus telemóveis e a sua reputação neste campo sempre foi gloriosa. Isto deve-se ao facto de a marca ter uma abordagem rigorosa relativamente a manter o seu ecossistema seguro, assegurando o controlo total sobre o que as aplicações e serviços fazem na sua plataforma. Em comparação, o sistema do Android é muito mais vulnerável, por exemplo, no que toca à existência de aplicações com trojan horses (programas maliciosos que agem tal como na história do Cavalo de Troia, entrando no aparelho sobre a forma de algo aparentemente simples e comum, e criando uma porta para uma possível invasão de hackers e uma evasão de informação pessoal).

 

Para resumir, o iPhone 7 Plus mostrou ser um telemóvel fiável, completo, rápido e bem equipado relativamente a features inovadoras e, diga-se de passagem, bastante úteis. Como pontos altos destaco a sua câmara que superou as minhas expectativas por completo, proporcionando registos fotográficos absolutamente fascinantes. A sua fluidez e rapidez que possibilitaram um multi-tasking que me permitiu trabalhar em várias apps ao mesmo tempo é outro aspeto a realçar . Em contrapartida, destaco como ponto fraco a ausência de um headphone jack que se revelou um grande inconveniente face às circunstâncias em questão.

E assim se passaram, num piscar de olhos, duas semanas que, por minha vontade, se teriam estendido. A experiência que tive com o iPhone foi bastante positiva (como ponto de melhoria só aponto o facto de não ter embutido um headphone jack).

No fim de contas, não há um vencedor na battle royale entre iOS e Android, tendo cada um dos sistemas os seus pontos fortes e pontos fracos. Se me questionassem quanto à hipótese de abdicar do Android e optar pelo iOS, ia ter sérias dificuldades em responder, como o ser indeciso que sou, mas tenho a certeza que se decidisse comprar um iPhone, seria na Forall Phones!

Sobre Mim

Olá! Sou o Iúri Ferreira e entrei na Forall como embaixador em fins de Setembro de 2018. Estou a tirar uma licenciatura em Marketing na ESTG-IPL. 

Comunicação, tecnologia e inovação são três coisas pelas quais tenho um grande bichinho, tendo por isso aceitado o desafio de integrar a área de Tech do blog da Forall. 


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.